quinta-feira, abril 26, 2007

Afinal a verdadeira artista...era eu!

Dedico este post aos amores da minha vida que (mal ou bem, e isso que importa já?...), em algum momento, duvidaram de mim: ao mano, maria e pappis;
aos meus primos Zézito e Rita,Pati,Tiago e Sara, Manel, David e Flávia, Isis; às minhas avós mais lindas, Maria do Carmo e Celeste; aos meus tios e amigos São e Xan, Lete e Zé, Fátima e Celso, Nela e Dino, Lito e Lety - pelo amor incondicional!
Aos eternos Elisa, Alberto e Paulito, à Cat, Vandinha e Miguel, por nunca desistirem de mim...
Ao Emanuel, João Pedro e Esperança;
Ao JL, RCB, JD, BC;
Aos amigos de Macau, Dr. Janela e Kikas, Amélia e Simone, Mizé e Joaquim, Dioguinho, Sofia O e Hugo Couto, Goretti, Silvinha, Margarida, Mariana e Lina, Jorginho e Patrícia, Alex e Martinha, Coutinho, Caty e André, Guida Saraiva, Joana Cunha e Marta, Miguel Quental e Cristina, Luísa Bragança e Zé Pinto, Graça Saraiva, Joana Amorim e Gracinha, Dr. Terra e Alicinha, Marina e Lina, Jessica, Gonçalo PT e às restantes girls;
and last, but not least...aos amigos de sempre, Rose, André, Parreira, Joana Mendes, Joana Abrantes, Sílvia Ramos,Joana Fonseca e Lita, Mariana, Maria Paula, Paulinha Malta e Zé Eduardo, João Nuno, Joana Tereso e Paulo Alberto...
Não logre o tempo nem a distância jamais apartar-nos...



Mais um pontapé em seco...
Mais uma pedra em que tropeço no meu caminho sinuoso...
Ao contrário do Pessoa, contudo, já duvido se algum dia construirei esse malfadado castelo...

Percebo, sim já percebi!....
Corpo meu, podes parar...
Julgo uma vez mais ter alcançado esse sentido último e subtil da vida...

Mas há esta eterna pedra no sapato que pareço não conseguir descalçar nunca!...

Fechei-me, mais esta e tantas vezes, a sete chaves cá dentro, no mais fundo de mim.
E recusei olhar-me de frente, olhos nos olhos como gosto com os outros....
E perdi-me!....Uma, duas, três vezes....já nem sei já quanto, nem quando...não interessa!

Realizei agora que "nunca" é uma palavra que não devo usar muitas vezes, a não ser quando nunca é tarde!...
E se a minha vida só começou aos 32 anos, seja!...Que hei-de eu fazer?...
Toca a apetrechar a mochila e a fazer-me à estrada, que a distância é longa e o tempo, curto...

E chega de correrias,
De "florestas de enganos"!

Páro, escuto e olho para mim só...
Olho-me de alto a baixo.
Aqui, agora, por dentro e por fora...
Se sou feliz?...
Cansada, sim, não gasta...
E as minhas penas estão hoje mais resistentes às intempéries.
Então, siga! Voa, voa, voa...

"Caminante no hay, camino..." E a vida é o que nós fizermos dela!...
Pego agora na minha e vou levá-la às costas...wherever i go...

E, porque estou contente com este recomeço de Sísifo, a rodada, hoje, é por minha conta... e porque ainda é Abril, "venham mais cinco/duma assentada que eu pago já!..."

6 comentários:

FPG disse...

E o Cafe Nelso?
Não merece ser lembrado?

Anónimo disse...

Da cassete e do DVD 9 !!!
Jocas.
Simone

Borracho del Tablon disse...

Como sempre sincera,
como sempre sentimental,
Elsa sempre foste e serás uma fera,
um verdadeiro animal!

Os animais são nossos amigos,
mas entre eles ocupas sinal mais,
pois estás entre os meus entes mais queridos,
Elsa: tu és demais!

Yāt go yàn 一個人 Yī gè rén disse...

Queridíssimo borracho del Tablon! Um berdadêiro trobaduôr é o que tu és!!!
E saíste-me na rifa como um amigo daqueles...uma sorte dos diabos, essa é que é essa!
beijos mil, muitos...todos, nessa carinha laroca!!!

Yāt go yàn 一個人 Yī gè rén disse...

Minha lindíssima FGP: o post sobre o Café Nélso já está na calha e vai ter honras de primeira página e exclusividade absoluta!
Mi aguardjiiiiiii!
besos tantos

p.s. o teu blog já está nos "outros ternos femininos" das minhas "mulher(es) do avesso"!

Borracho del Tablon disse...

Que belo privilégio,
de receber elogios seus,
retorquir?... com o sacrlégio,
de lhe dar muitos beijos meus!